Vasco Seabra dedicou as primeiras palavras pós-jogo aos adeptos maritimistas. “Gostaria de salientar a força maritimista e os nossos adeptos, uma vez mais presentes”. Incansáveis no apoio à equipa durante todo o jogo, os cerca de 120 peregrinos do Marítimo no Estádio Cidade de Barcelos contribuíram para “um ambiente fantástico, num grande espectáculo entre duas equipas que jogaram para ganhar. Das 3 equipas, duas estiveram realmente muito bem”, enfatizou Seabra, numa referência subliminar à equipa de arbitragem cuja decisão, ao assinalar grande penalidade no fim da primeira-parte, exasperou o banco verde-rubro. Seabra não quis alongar-se em comentários sobre o trabalho de Cláudio Pereira e dos seus auxiliares, VAR incluído. “Temos de ser mais criteriosos naquilo que para nós é um penalty, naquilo que para nós são “faltinhas”. Temos excelentes árbitros, a Liga tem uma excelente dimensão profissional. Hoje, aqui, estiveram duas equipas que jogaram para ganhar. É preciso valorizar estas duas equipas que trouxeram muita gente ao Estádio. Quem viu através da televisão, viu um grande espectáculo. O jogo tem de ser corrido. O árbitro concedeu 7 minutos de descontos e eu acho muito bem. O futebol tem de ser assim: jogar para a baliza do adversário e impedir que eles joguem para a nossa.”

Sobre o desempenho global da sua equipa, o técnico verde-rubro ficou muito agradado com os primeiros 45 minutos. Na primeira parte, muita qualidade. Marcámos dois golos, um foi anulado. Saímos com critério e tivemos capacidade para bater a pressão do Gil. Controlámos o adversário e não permitimos grandes veleidades na nossa área”. Na segunda-parte, a feição do jogo alterou-se e Vasco Seabra reconheceu a supremacia do Gil Vicente nos primeiros 20 minutos. “Gil entrou muito forte na segunda-parte. Foram 20 minutos muito fortes. Desmontaram-nos muitas vezes com a tripla largura que criava pelo flanco direito. Depois, conseguimos equilibrar.”

Questionado sobre a titularidade de Miguel Sousa, as palavras e os actos de Seabra demonstram que o projecto futebolístico do Marítimo está no bom caminho. “O Miguel é um reforço, tal como o Teles. Fruto do trabalho feito na equipa B, daí o nosso reconhecimento O Miguel esteve muito bem e estou muito satisfeito com o comportamento dele.”