O Marítimo regressa a casa em busca da felicidade que o Caldeirão merece. Seabra apela à presença em massa dos Maritimistas.

O Marítimo regressa ao Caldeirão para defrontar o Tondela, jogo agendado para Domingo, às 15h30. Vasco Seabra assume a alegria de voltar a casa e “um desejo muito grande de vencer.” Para além da mira apontada à vitória, Seabra ambiciona “bater um novo recorde de adeptos no Caldeirão”. “Nunca é de mais pedir o apoio dos nossos adeptos”, apelo do técnico que terá, certamente, correspondência na romaria de Domingo ao chão sagrado do futebol madeirense.

O Tondela apresenta-se na Madeira com um novo treinador, tornando mais árdua a tarefa de antecipar o que os beirões poderão trazer ao Funchal. No entanto, e mantendo-se fiel ao registo, Vasco Seabra atribui primazia à sua equipa e aos comportamentos que espera dos seus atletas. Não obstante a consciência de que o adversário visita o Estádio do Marítimo com o desejo de inverter um ciclo negativo – e que está na origem da mudança de treinador -, interessa ao Marítimo “estar no seu melhor, focados nos métodos de uma equipa que quer ser dominadora, que assume a bola sem receios.” Tudo por “um jogo positivo. E positivo passa pela capacidade de ganhá-lo.”

A paragem no campeonato, segundo Seabra, foi benéfica, uma vez que permitiu recuperar jogadores que padeciam de algumas mazelas. “Com muita vontade de regressarmos à competição”, o interregno também contribuiu para aprimorar, naturalmente, “os nossos momentos ofensivos e defensivos”. Muito para além do treino, o discurso de Seabra evidencia um grande empenho na comunhão do grupo, pelo que a pausa foi aproveitada “para reforçar os laços”. Zainadine, por exemplo, beneficiou desta harmonia que reina no grupo. Depois de dias muito atribulados, “Zainadine sentiu que regressou à sua família e superou com relativa felicidade. Sinto-o feliz, muito alegre – tal como a equipa –, pelo que está preparadíssimo para ir a jogo.”

Domingo, às 15h30: a hora certa para saudar o Marítimo.

Vamos a eles.