José Gomes, treinador do plantel principal do Marítimo da Madeira, foi o convidado de honra da edição desta quarta-feira, 6 de Maio 2020, do programa «Tudo é Futebol», apresentado por Rui Almeida no Canal 11.

O técnico verde-rubro, que termina o período obrigatório de quarentena, decretado pelas autoridades oficiais, no início da próxima semana, lamenta que o processo de retoma das competições privilegie o aspecto financeiro, em detrimento da vertente competitiva.

«Não queria entrar em qualquer tipo de polémica, mas a forma como se está a construir esta retoma, neste modelo, neste momento, é muito mais a retoma das operações financeiras e do dinheiro que é preciso recuperar, atendendo ao que se poderia perder por não haver transmissões televisivas, do que propriamente o futebol. Neste momento, não se pode falar ainda de futebol», começou por dizer o timoneiro dos madeirenses, em declarações ao Canal 11, sublinhando que o Estádio do Marítimo tem todas as condições para receber os cinco jogos que faltam para concluir a temporada.

«Com todas as exigências que têm de ser feitas nestes cenários, eu não vejo qual seria a dificuldade de realizar jogos no nosso estádio, que tem excelentes condições, vários balneários com várias entradas. Na deslocação, feita de avião, a equipa, a viajar sozinha, está protegida de qualquer possibilidade de contágio, por isso, estou convencido de que vamos fazer os nossos jogos em casa no nosso estádio, na Madeira», considerou.

Esta é uma situação completamente nova para José Gomes que, em conjunto com a sua equipa técnica, se tem preocupado em tirar o máximo proveito de todas as sessões de treino para garantir que todos estão prontos para o regresso do campeonato.

«Nós parámos sensivelmente o mesmo tempo ou até mais do que acontece no período de férias dos jogadores. Depois das férias no verão, os jogadores recomeçam todos juntos, a trabalhar, desde o primeiro treino, todos os princípios e subprincípios do que será o modelo de jogo e ainda se fazem jogos amigáveis», analisou, revelando o que está a construir com a equipa nesta fase.

«O que nós temos, como treinadores, de procurar potenciar é o tempo que temos para trabalhar todos estes princípios, para que a retoma dos jogos não possa demonstrar qualquer lacuna a esse nível. Aquilo que eu pretendo é que a dinâmica que estava a ser construída e melhorada se continue a ver, e ainda melhor, nos 10 jogos que faltam», rematou.