José Gomes, treinador do plantel principal do Marítimo da Madeira, foi um dos tertulianos do debate «ser treinador do Maior das Ilhas», promovido pelo Departamento de Futebol Jovem verde-rubro, que ocorreu esta segunda-feira, dia 11 de Abril de 2020.

Depois de cumprir duas semanas de quarentena na Madeira, o técnico do Marítimo voltou ao trabalho de campo com os jogadores e aproveitou a ocasião para lhes falar ao sentimento do será vestir a camisola nesta recta final de campeonato.

«Aquilo que temos de contar para os 10 jogos que faltam, se realmente os jogarmos, é que, mais do que nunca, mais do que qualquer momento até da história do clube, temos de colocar em campo tudo o que somos capazes de fazer. O que pedi aos jogadores é que eles se entregassem ao jogo, de tal forma que as pessoas da Madeira se conseguissem rever neles, pela sua entrega», começou por dizer o treinador verde-rubro, sublinhando, depois, a importância de construir uma base de objectivos e interesses comuns.

«Vão ser 10 jogos muito difíceis e a obrigação que nós temos, como profissionais e como pessoas a representar o Marítimo, de fazer tudo ao nosso alcance para que os madeirenses se revejam na forma de jogar do Marítimo e tenho a certeza absoluta que, se fizermos isso, vamos ter um final a festejar com todos os madeirenses», vincou.

Apesar de toda esta indefinição, causada pela entrada do vírus em cena, a estrutura de futebol profissional do Marítimo não parou e continua a preparar o futuro.

«Faz parte do trabalho do treinador e de qualquer equipa técnica chegar a determinados momentos da época e começar a escrever relatórios e a acertar as ideias com a estrutura do clube, e é isso que estamos a fazer», rematou.

José Gomes teve como colegas de painel os treinadores Marco Bragança (Juniores) e Nélson Gouveia.

"Ser treinador do Maior das Ilhas"

📺 EM DIRETO | Em conversa com José Gomes, Marco Bragança e Nélson Gouveia

Posted by CS Marítimo on Monday, 11 May 2020