O empate na recepção à Belenenses SAD, da 19.ª jornada da Liga Portugal BWIN, foi uma grande prova de superação e qualidade do plantel verde-rubro que, desde cedo, teve de aprender a lidar com as diversas adversidades com que se foi deparando ao longo dos 90 minutos.

O minuto 13 foi literalmente de azar para o conjunto orientado por Vasco Seabra, que foi punido, por acção do VAR, com uma grande penalidade contra, a castigar um toque de Diogo Mendes sobre Cafu Phete na grande área.

Safira, da marca do castigo máximo, enganou Paulo Victor e atirou para o primeiro golo da tarde (13), depois de, minutos antes, Rafik Guitane já ter tido uma grande oportunidade para inaugurar o marcador, mas não teve cabeça para dar a melhor sequência ao lance.

Embalados pelas palmas a compasso que brotavam das bancadas, os jogadores do Marítimo foram-se acercando da grande área da Belenenses SAD, numa busca incessante pela igualdade, e, no espaço de oito minutos, construíram duas ocasiões de golo iminente: primeiro Rafik Guitane, ao segundo poste, desviou para a baliza mas falhou na pontaria (18′), enquanto Joel Tagueu, de cabeça, imprimiu demasiada força a bola e fê-la subir em demasia (26′).

Ainda antes do intervalo nova contrariedade para a equipa verde-rubra, que viu Joel Tagueu ser expulso, por vermelho directo, num lance em que o camaronês até está na posse da bola e sofre, inclusivamente, uma carga antes de escorregar (43′).

A resposta não podia ser mais assertiva: pontapé de canto cobrado por Edgar Costa, cruzamento de Rafik Guitane para o desvio certeiro de Matheus Costa para o fundo da baliza do Belém e a igualdade reposta em cima do intervalo (45’+5).

A uns primeiros 45 minutos agitados e cheios de peripécias, seguiram-se outros muito mais calmos e com várias interrupções que, pouco a pouco, foram tirando vida ao jogo.

Ainda assim, e apesar do desgaste a que estava a ser sujeito desde a expulsão, o Marítimo nunca perdeu a ambição de lutar pelos três pontos, que podiam, inclusivamente, ter ficado no Caldeirão no assalto final à baliza de Luiz Felipe.

Henrique Rafael (86′), Alipour (90’+4) e Fábio China (90’+6) estiveram perto de concretizar a cambalhota no marcador, mas a pontaria teimava em não querer nada com a equipa verde-rubra, perante uma Belenenses SAD, reduzida também a 10 elementos, que terminou o jogo a guardar o ponto trazido da primeira parte.

Vitor Ferreira apitou, pouco depois, para o final do encontro, sentenciou a divisão de pontos entre Marítimo e Belenenses SAD, e o quarto jogo consecutivo dos madeirenses a pontuar.

Um ponto conquistado na base do trabalho, da crença e da união de toda a equipa.