O Marítimo empatou na noite deste domingo frente ao Benfica, 1-1, em jogo da 8ª jornada da Liga NOS. Depois de na semana anterior se terem visto privados de um jogador - Zainadine - numa decisão nunca vista, é caso para dizer que os verde-rubros entraram a perder: aos 2 minutos sofreram um golo. Só que esta equipa não se rende, foi à luta, bravamente como é apanágio, e acabou por conseguir o empate num desfecho (mais que) justo.

Empate que chegou só na segunda parte mas a reação maritimista aconteceu desde a desvantagem. É que já primeira parte Ricardo Valente e China ameaçaram seriamente a baliza encarnada. Mas a defesa da noite esteve reservada para o minuto 58: uma grande jogada, um grande remate de Rodrigo Pinho que só não foi golo - golão, sff - porque Júlio César foi enorme. Mas oito minutos depois o bom futebol verde-rubro teve expressão com o golo: excelente cruzamento de Bebeto e entrada fulgurante, de cabeça, de Ricardo Valente.

Até final, pese uma muito boa intervenção de Charles, a grande ocasião para chegar à vitória esteve nos pés de Everton: isolado, permitiu o desvio do guardião contrário. Estavam decorridos 82 minutos e, pelo que se lê, a grande defesa da noite foi encarnada e (a outra) grande oportunidade para o segundo golo foi maritimista. Factos...

Com arbitragem de Jorge Sousa (Porto), o Marítimo alinhou assim:
Charles; Bebeto, Dráusio, Pablo, China, Fábio Pacheco, Gamboa, Jean Cléber (Diney, 90+3), Ricardo Valente (Éber, 83), Rodrigo Pinho (Everton, 71) e Edgar Costa.
Ação disciplinar: cartão amarelo a Pablo (10) e Edgar Costa (49).
Golo: Ricardo Valente (66).

Club Sport Marítimo | Todos os direitos reservados | Administração